3 dicas de planejamento tributário para empresas do Simples Nacional

Nossas Soluções

3 dicas para empresas do Simples Nacional

Acompanhe neste artigo dicas essenciais de como crescer empresas do Simples, por meio do planejamento tributário.

Um dos fatores fundamentais para o crescimento de um negócio é a gestão tributária. Se dividirmos os custos envolvidos em um determinado produto ou serviço, é fato que a fatia relacionada aos impostos será um dos pontos com maior percentual envolvido. 

É nesse ponto que as empresas sobressaem quando passam a dominar a gestão tributária do negócio, se tornam mais competitivas com alto índice de crescimento.

Porém, dominar as particularidades tributárias de uma empresa não é simples, é preciso muito estudo e dedicação para entender o melhor caminho que a empresa deve seguir. 

Essa complexidade aumenta quando tratamos das empresas do Simples Nacional, jáque a gestão desses negócios, muitas vezes, é realizada por profissionais que não foram preparados, tais como empreendedores que desconhecem a gestão financeira e tributária de um empreendimento.

Então, preparei três dicas que toda empresa do Simples Nacional deve seguir para ter uma gestão tributária eficiente e conquistar novos mercados.

Dica 1 – Faça uma análise do custo tributário 

A primeira dica é analisar os impostos que são envolvidos na compra e venda de um determinado produto ou serviço, como por exemplo:

  • O produto possui ICMS- ST nas operações de compra e venda?
  • Existe alguma particularidade tributária que envolve o produto ou a operação? Há tributação monofásica ou algum tipo de beneficiamento?
  • A empresa gera lucro ou prejuízo mensalmente?

Essas perguntas farão você conhecer um pouco melhor a estrutura da sua empresa e analisar onde estão concentrados os maiores custos tributários do seu negócio. 

Neste primeiro momento, o segredo é apenas que você entenda os impostos que envolvem sua operação, para te gerar clareza.

Dica 2 – Concentre nas operações com maior custo tributário

Já ouviu aquele velho ditado: “Estão cortando o cafézinho e a torneira continua aberta?”

É muito comum que isso ocorra na gestão das empresas. Muitos gestores, sem conhecimento profundo da situação, passam a ter ações sem o mínimo de conhecimento dos resultados que poderão atingir, isso ocorre porque ele possui o sentimento que algo precisa ser feito, porém, por desconhecimento do negócio, tenta diversas ações sem resultados.

É por isso que ter foco no real problema fará que seus resultados sejam mais assertivos. 

Se o maior problema está relacionado ao ICMS-ST das operações de compra, por exemplo, o foco deve ser encontrar uma solução para reduzir esse custo com o ICMS-ST. 

  • Será que estou comprando do local correto?
  • O regime tributário do Simples Nacional é o melhor cenário para esse tipo de operação?
  • Abrir filiais em outros estados haverá uma redução nesse custo tributário?

Você deve ter em mente que a gestão tributária de uma empresa é algo para ser analisado mensalmente e não somente na mudança de ano, quando deve ser definido o regime tributário da empresa. 

São as estratégias tributárias que farão sua empresa ter mais competitividade.

Dica 3 – Criar plano de ação

Chegamos ao ponto de agir, com base nas informações coletadas e clareza tributária do negócio, é hora de tomar decisões. 

Neste ponto, é muito importante a empresa contar com um especialista tributário, podendo ser seu próprio contador, caso tenha conhecimento tributário, ou contratar uma empresa especializada em tributos.

Muitos imaginam que todo contador deve dominar as operações tributárias. Porém, essa não é a realidade e nem um problema.

Existem muitas empresas de mercado que atuam somente com a especialização tributária, sendo um braço ao contador da empresa, algo que grandes negócios praticam normalmente para estarem sempre à frente no mercado.

Deve ser realizado um estudo sobre as situações encontradas, identificado a solução para cada uma delas. Por exemplo: muitas empresas do Simples Nacional estão com prejuízos contábeis, no entanto, pelo fato de estarem no Simples, acabam pagando tributos que são recolhidos pela emissão da nota fiscal.

Mas, se estivessem em outro regime tributário, como do lucro real, não pagariam o Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ) e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) que no Simples são recolhidos na guia de Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS), indiferente de ter lucro ou prejuízo.

Dica final

Planejar tributariamente sua empresa, fará com que ela cresça de forma mais consistente e alcance outros patamares.

Todo empreendedor deve ter consciência e inserir nas suas análises mensais os pontos citados neste artigo. 

Após implantada a gestão tributária de uma empresa, o gestor passa a ter total clareza do que deve ser feito daqui para a frente.

Fonte: Portal Contábeis

Produtos

Nosso propósito

Nossos valores

Nossa visão